28 de jul de 2009

Agência Gamma com o pé na cova



Com dados da Reuters

A crise financeira, que também atinge a mídia, parece estar fazendo sua nova vítima. A agência fotográfica francesa Gamma, que ficou famosa documentando o levante estudantil de maio de 1968 em Paris e a Guerra do Vietnã, anunciou nesta terça-feira que sua sobrevivência está em risco.

Com a concorrência da Internet desafiando a mídia impressa tradicional, cuja circulação vem caindo em praticamente toda parte, os editores vêm tendo menos dinheiro para gastar com imagens de agências como a Gamma. Some-se a isto a crise financeira internacional e a queda dos anunciantes da mídia impressa, e o cenário está montado.

Fundada em 1966, a Gamma encabeçou a geração de ouro do fotojornalismo francês, cujas imagens premiadas de eventos mundiais ganhavam as capas da influente revista Paris Match e as primeiras páginas de jornais em todo o mundo.

A Gamma hoje emprega cerca de 55 profissionais, 14 dos quais são fotógrafos. Se a gamma fechar as portas será o fim de uma agência onde militou gente do porte de Raymond Depardon, Gilles Caron, David Burnett e Françoise Demulder, a primeira mulher a ganhar um WPP, em 1976, com a foto abaixo, feita durante a guerra do Líbano.


Foto: Françoise Demulder/ Gamma.

Marcadores: , , ,

1 Comentários:

Às qua jul 29, 08:29:00 AM 2009 , Blogger Guido Cavalcante disse...

Algo muito semelhante aconteceu com a revista Life, cuja última grande edição - a coroação de Elizabeth II - 1953 - foi produzida durante um vôo de Constellation entre Londres-NY, pra tentar chegar na frente da TV. Não deu e a Life nunca se recuperou.

Aliás, embora acreditando que vcs já o conheçam, aqui está o link para as capas da Life

http://www.coverbrowser.com/covers/life

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial