14 de jul de 2010

De Hechos: Olhar chileno sobre o terremoto.



De Hechos em espanhol, a depender de como se fala, e como se escuta, estabelece o trocadilho podendo ser 'de fato' ou 'desejo'. é também o nome da Expo realizada pelo Coletivo Concepción fotografia, da cidade ao sul de Santiago, que foi varrida pelo terremoto + tsunami em fevereiro deste ano.

Encontrei a exposição em meio a fria Santiago, acontecendo no Centro Cultural da antiga estação Mapocho. Um prédio imponente que, guardada as proporções, lembra o museu D'orsay, em Paris (se bem que o D'Orsay, outra antiga estação de trens, não tem a imponência da Cordilheira dos Andes ao fundo).

O trabalho impressiona por acionar simultaneamente dois eixos: o documental, porém sem explicitudes óbvias, e o subjetivo, exercitado através de soluções como as grandes panorâmicas que cobrem o espaço de ruas inteiras destruídas com um apelo plástico que incomoda (É possivel fazer algo belo, a partir de algo absolutamente terrível?).

Há, no conjunto da mostra um recorrente apelo as fotos dos senderos (caminhos, trilhas). Uma alegoria da rota de fuga através do precário, mas também indicando o esquecimento do assunto, que progressivamente, mesmo no Chile, vai saindo da agenda.

Paralelo para o recente horizonte de eventos das cheias que abalaram Pernambuco: será que alguém está fazendo algo parecido no Recife / PE / Brasil?

Aqui, mais De Hechos.

.

Marcadores: , , , , , ,

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial