16 de jun de 2009

Para quem é fetichista em câmeras retrô: Olympus Pen, agora digital



Quem tem mais de 35 anos seguramente tem a Olympus pen habitando algum lugar da memória. Lançada em 1959, essa camera infestou os anos 1960 e 1970. Super compacta para os padrões de então, a Pen foi projetada pelo renomado designer japonês Yoshihisa Maitani.

O designer tinha como princípio a idéia que a fotografia era para registrar memórias, o que importava mesmo era o poder da mente em visualizar imagens. O equipamento deveria ser o mais simples e, ao mesmo tempo, preciso e confiável. Rapidamente, a Pen representou uma combinação única de simplicidade, estilo, performance e baixo custo.

Usava filme 35mm e tinha a peculiaridade de "dobrar" a quantidade de exposições. O segredo? Usava apenas a metade de cada quadro do filme, recompondo o na vertical. Assim, cada rolo de filme de 36 fotos era capaz de 72 registros. Na época do filme, a olympus Pen já sinalizava a possibilidade de tirar centenas de fotos em um fim-de-semana, algo comum nas digitais de hoje. Isso era conseguido com a ajuda e engenhosidade permitida pela boa optica de sua lente 30mm f.1:2,8 (veja como era o registro no negativo no exemplo abaixo). Fora isso, operava totalmente sem baterias. A medição de luz era automática e a eletricidade para fazer isso era obtida da própria luz existente através da enorme fotocélula que ficava ao redor da objetiva. A pen era um ovo de colombo!



Bem, recuperando a aura de cult que a camera tem, a Olympus resolveu repaginar e lançar um modelo diretamente inspirado na antiga Pen. A E-P1, "digital pen", (ver foto abaixo), que foi lançada hoje, vem com lente intercambiável, 14-40mm, corpo em metal, resulução de 12,3mpixel, grava video em HD (1280x720), captura em RAW e uma gama de iso de 100 a 6400. Um bom pacote para uma compacta. Mais informações aqui.

Bem, se vai pegar na mesma proporção cult da sua "tia mais velha" - e durar - é outra coisa. Tenho amigos que possuem Pens de 20, 30 anos funcionando perfeitamente. Algo quase inimaginável na era de cameras descartáveis que temos hoje. Pensar que a antiga Pen funcionava sem baterias e, consequentemente sem carregador, sem cabinhos, sem cartões de memória, e além disso, fazia um monte de foto de modo simples e barato, nos faz pensar o que é, de fato, o conceito de tecnologia avançada.

Marcadores: , , , , , , ,

2 Comentários:

Às qui out 23, 03:18:00 PM 2014 , Blogger aroma disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
Às qui out 23, 03:20:00 PM 2014 , Blogger aroma disse...

Cumprimento,

Por acaso sabe de colecionador interessado numa OLYMPUS PEN-EE?
Hoje qual será o seu valor de oferta?
Grata no envio de resposta para:

aromadafrica@hotmail.com

C.Câmara

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial