18 de jun de 2009

ACQUINE - Para julgar se a foto é boa ou não...


ACQUINE: Curadores e editores de fotografia, professores também: tremei-vos! A qualidade da imagem agora pode ser determinada por software!

Para quem é fotógrafo parece piada. Mas algo plenamente plausível dentro dos delírios tecnológicos paridos pelos engenheiros de softwares. Eis que surge o ACQUINE (AesthetiC QUality INference Engine, Algo como: Máquina de Inferência de Qualidade Estética, numa tradução livre) e foi desenvolvido por uma equipe da Penn State University. Chega de achômetro! A ferramenta traz como proposta determinar de modo automático - pasmem - o valor estético de uma foto!! Isso já existe e é público desde abril. A novidade tem circulado nas listas de discussão de fotografia, como a fotoclic e a fototech. É a partir de lá que nos motivamos para escrever este post.

A picaretagem da idéia consiste em algumas distorções.

A primeira, mais óbvia, reduzir a compreensão estética a regras de composição e a um conjunto de algoritmos, algo que o criador desta criatura binária, James Z. Wang, explica em um artigo mal assombradísimo, em inglês. Não se trata de fazer uma crítica a uma abordagem matemática da imagem fotográfica e suas interações estéticas, algo que é possível e pode dar resultados interessantes numa perspectiva mais ampla de interação entre arte e tecnologia, por exemplo.

Segundo: É justamente o contrário: reduzir o caráter multiplo de significação da imagem, a famosa polissemia, em termos semióticos, a uma chancelamento de qualidade que se dá de modo automatizado e numa compreensão limitadíssima do que é a estética.

Terceiro, preservando os pontos acima, é qualificar a qualidade da imagem apenas pelo valor estético atrelado à composição e aos elementos visuais. E os aspectos subjetivos, culturais, documentais e distintivos entre uma imagem e outra, como ficariam nisso? Exemplo prático: as fotos tremidas de Robert Capa do desembarque aliado na Normandia, capturadas na ação da batalha há 65 anos, passariam no teste? São imagens com ou sem qualidade?

O AutoFoco pagou pra ver. Fez um upload da foto de Robert Capa. O resultado, como vocês podem conferir abaixo, foi desastroso: a foto teve uma "nota" de 3,6 em 100. Se o Acquine deu essa nota pro Capa, numa das fotos mais importantes da história do fotojornalismo, imagine pras minhas fotos! Que medo!!! Tô fora!!!




Por outro lado, o prosaico prato de camarões e a simpática faixada de uma casa tiraram notaços, como se pode ver abaixo.



Resumo da ópera: A fotografia é multipla. Ela não é só efeito estético. É fenômeno de memória, de conexão da nossa vida com o mundo e a cultura que nos cerca. É experiência humana e pertencimento social. A engenharia de software precisa enxergar isso e se dedicar à aquilo que já faz muito bem: desenvolver plataformas mais palpáveis, como os lightrooms, photoshops e congêneres.

Marcadores: , , , , ,

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial